Empresa auxilia no planejamento das ações do condomínio



Entrevista publicada no dia: 24/02/2012

O amadorismo na hora de fazer a vistoria do condomínio, muitas vezes, é responsável por colocar o síndico em “maus lençóis”. Isso porque a falta de experiência e de um olhar mais técnico sobre a parte estrutural da edificação, contribuem para deixar passar problemas que, com o tempo, podem colocar em risco a vida e a integridade física de moradores e transeuntes. O serviço de vistoria em condomínios ajuda a detectar obras necessárias e de melhorias a serem realizadas no edifício, visando manter o condomínio bem conservado, valorizado e seguro.  Para conhecer mais esse trabalho, o jornal O Síndico entrevistou o Diretor Administrativo da Construtora Viganorte, Robson Medina Nascimento.

O Síndico: Explique detalhadamente como é feito esse trabalho de vistoria preventiva.
Robson: São verificados minuciosamente todos os detalhes do condomínio, fazendo uma vistoria geral da partes civis das áreas comuns do edifício, o que inclui áreas internas e externas. Entre os vários itens, podemos enumerar a verificação do estado de conservação dos telhados, da caixa d’água, da garagem, calçadas, a conferência da afixação correta dos corrimões, da sinalização de extintores de incêndio, se as escadas possuem faixas antiderrapantes exigidas por lei, entre outros. A fachada dos condomínios também merece especial atenção da vistoria, que checa problemas como a desagregação de revestimentos, queda de pedras, infiltrações e rejuntes que podem oferecer riscos aos moradores e à população que transita pelas calçadas.

O Síndico: Desde quando a empresa realizada a vistoria preventiva em Juiz de Fora? Qual o retorno que estão tendo dos condomínios?
Robson: Esse trabalho é feito há dois anos e já realizamos cerca 35 vistorias em edifícios residenciais e comerciais de Juiz de Fora. Trouxemos essa mentalidade de prevenção do Rio de Janeiro, onde atuamos bastante nessa área indicados principalmente pela Revista do Sindicato da Habitação do Rio (SECOVI), em que síndicos foram entrevistados e deram referência do nosso serviço. O retorno que temos dos síndicos é muito positivo, porque é uma forma deles administrarem melhor, garantindo a tomada de iniciativas para conservação e segurança da edificação e de suas instalações.

O Síndico: Quais os principais problemas que vocês observam nas vistorias realizadas nos condomínios?
Robson: O maior problema dos condomínios, hoje, gira em torno de dois itens, telhado e fachada. Telhado porque no período de seca, as pessoas instalam antenas de TV a cabo ou internet e, se por acaso, alguma telha quebra e as pessoas não avisam, quando chega a época de chuvas, os apartamentos de cobertura sofrem com as infiltrações. Quanto às fachadas, elas também vão se deteriorando pela ação do tempo e por falta de manutenção, o que contribui para a desvalorização do imóvel. Sempre que nos deparamos com essas situações, indicamos que o síndico dê prioridade ao assunto e realize os reparos necessários para resolver esses problemas.

O Síndico: Os síndicos podem optar por realizar uma autovistoria? É o mais indicado?
Robson:Não indicamos esse tipo de situação, porque muitas vezes o síndico já se ocupa de várias outras atividades dentro do condomínio e não tem tempo ou mesmo disposição para fazer uma vistoria completa. O mesmo ocorre quando o síndico delega essa função a zeladores, que muitas vezes não são habilitados e não possuem o conhecimento técnico para avaliar adequadamente o real estado do condomínio.

O Síndico: A idade do imóvel influencia na prestação do serviço e no valor cobrado?
Robson: O que influencia é a área que vai ser vistoriada e a altura do prédio, no caso de vistoria somente da parte externa. Isso porque os síndicos podem contratar a vistoria separadamente (interna ou externa) ou fazer uma vistoria completa, o que varia é o valor do contrato. Em um prédio de 10 andares, com uma boa área de lazer em um condomínio de porte médio, o serviço varia em torno de R$ 650,00 a R$ 700,00. Realizamos o serviço em um prazo de uma semana, em horários intercalados, ou seja, cada técnico faz a vistoria da área que é sua especialidade.

O Síndico :Qual a periodicidade indicada para os condomínios e imóveis contratarem a vistoria?
Robson: Depende da demanda do condomínio. É importante o síndico criar no condomínio a cultura de prevenção, E nesse caso, o mais indicado é fazer a vistoria a cada seis meses  ou um ano, visando prevenir qualquer tipo de problema que possa acarretar algum dano mais sério para o condomínio, como algum acidente com condôminos ou prejuízos causados pela falta de manutenção. Como diz aquele velho ditado, “é melhor prevenir do que remediar”, porque o barato pode sair caro.

O Síndico: O síndico pode contar com um laudo para ajudá-lo a fazer um planejamento de gastos mais urgentes do condomínio?
Robson: Depois de realizada a vistoria, nossa empresa emite um parecer técnico assinado por um engenheiro e um técnico de edificações, em que o síndico pode ter a real noção de todas as obras mais urgentes que precisam ser feitas no condomínio. De posse desse laudo, com as prioridades listadas, o síndico pode fazer pesquisa de orçamentos e escolher pela empresa que melhor atenderá o condomínio na execução das obras. Ele pode optar por nos contratar também, já que nossa empresa está apta para a realização de construção e reformas.

O Síndico :Qual a vantagem para o condomínio ao contratar o serviço?
Robson: Esse trabalho tem a vantagem de proporcionar ao síndico a direção certa do que precisa realizar e das prioridades. Quando contrata a empresa responsável pela execução dos serviços, já sabe o que exigir. Como por exemplo, se avaliamos que o telhado tem telhas quebradas e o engradamento está precário, ele já sabe se precisa refazer todo o telhado ou somente alguma parte. Com o laudo, o síndico também estará munido de informações preciosas que o ajudarão nas assembleias de condôminos, sendo útil no planejamento orçamentário anual.

Histórico de entrevistas

24/09/2017 - Ronaldo Tomaz - Alphaville

09/07/2017 - Entrada somente com autorização

07/06/2017 - Convenção Coletiva dos Trabalhadores em Condomínio 2017

20/04/2017 - Seguro para condomínios é obrigatório

11/07/2016 - Pedro Gatás Bara

13/05/2016 - Com o advogado Cristiano Alexandre Lopes

04/02/2016 - Como combater a inadimplência

09/11/2015 - Entrevista especial - 7º Dia do Síndico

10/09/2015 - Fornecimento de água

15/07/2015 - Delegado revela ação de ladras

27/05/2015 - Porteiros que amam a profissão

16/03/2015 - Convenção coletiva de 2016 e reajuste de salários

12/03/2015 - Economia de energia

19/01/2015 - Condomínio do Edifício Santa Cruz Shopping

06/11/2014 - Vivendo no campo, mas perto da cidade

16/09/2014 - Condomínios empresariais

14/07/2014 - Conscientização é a principal arma contra inadimplência

15/04/2014 - Síndico Edson Curiel Rosa: Advogado

15/04/2014 - Entrevista: Eduardo Lucas, engenheiro civil

06/11/2013 - Gustavo Magalhães, analista técnico e gestor do SEBRAE

30/08/2013 - Célula Gestão de Documentos

08/08/2013 - Telefonia, internet e TV por assinatura

25/04/2013 - Seguro Condominial

21/03/2013 - Dedetização em condomínios

16/11/2012 - Entrevista

26/08/2012 - Sindicato dos Empregados em Edifícios

22/06/2012 - Prevenção

27/04/2012 - Reparos e pintura de fachada

24/02/2012 - VISTORIA PREVENTIVA

14/11/2011 - Juiz de Fora recebe o 3º Dia do Síndico

20/09/2011 - Anselmo Fernandes da Silva - Diretor Geral do Demlurb

15/07/2011 - Thereza Rampinelli, advogada e especialista em Direito Imobiliário

13/05/2011 - Aloísio Lopes Junior, professor do Curso Técnico de Transações Imobiliárias

21/03/2011 - Sgto. Waldeci Silva, analista de projetos

14/01/2011 - CLT

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

08/09/2010 - Nova Lei do Inquilinato

02/07/2010 - Água é vida

07/05/2010 - Gripe A

11/03/2010 - Obras

15/01/2010 - Síndico x administradora

13/11/2009 - Piso limpo e conservado

 
Página Inicial | Anuncie Aqui | Notícias | Currículos | Revista O Síndico | Índices | Contato
Síndico JF © 2014 Desenvolvimento: