Sindicalista fala sobre a luta da categoria e as conquistas já alcançadas



Entrevista publicada no dia: 26/08/2012

O anúncio de que a presidente Dilma Rousseff enviará ao Congresso, até o final do mês, um projeto de flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), reforça a importância dos sindicatos nas negociações trabalhistas. Nesse contexto, eles terão mais autonomia para exigir melhores condições de trabalho e de salário dos patrões, o que já se tornou, há mais de vinte anos, a razão da vida do presidente do Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora (SINDEDIF-JF) Luiz José da Silva. Para contar um pouco de sua missão, o jornal O Síndico entrevistou o sindicalista.

O Síndico: Quando foi fundado o Sindicato?

Luiz José: Foi em 1988 por uma dissidência da Associação dos Trabalhadores, que era um sindicato misto que agregava diversos tipos de trabalhadores como asseio, conservação e condomínios. Em 1994, houve o desmembramento, quando a categoria se reuniu e fundou esse sindicato, que anteriormente atendia à Rua Batista de Oliveira. Desde abril de 2010, funcionamos em sede própria, conquistada com apoio da Federação dos Empregados em Turismo e Hospitalidade do Estado de Minas Gerais (FETHEMG).

O Síndico: Quais os benefícios o SINDEDIF já conquistou?

Luís José: Nossa principal conquista foi com relação aos salários, fazendo a diferenciação nos valores recebidos pelos porteiros de condomínios residenciais e comerciais. Antigamente, era um salário igual pra todo mundo, mas sabemos que um prédio comercial gera divisas e muito mais trabalho. Hoje, os porteiros em prédios comerciais recebem o valor de R$ 712,00 enquanto os de prédios residenciais R$ 672,00. Outros benefícios que oferecemos aos associados são os convênios com médicos, dentistas, advogados, além de descontos em exames laboratoriais.

O Síndico: Como é a relação do Sindicato com os síndicos e administradoras?

Luís José: Existe uma relação saudável, brigamos no “bom sentido” porque tentamos fazer o melhor para o trabalhador. E, essa briga por melhores salários sempre vai existir, sendo papel dos dois sindicatos fazer essa composição. A  mentalidade mudou muito, temos o respeito de síndicos, administradoras e o reconhecimento do Governo Federal. A maioria dos nossos empresários poderia pensar melhor e ceder um pouco mais para o trabalhador. Sabe-se que quem é bem remunerado fica mais satisfeito. Temos exemplos na construção civil, em São Paulo, em que os trabalhadores ganham mais, chegam ao serviço e tomam um bom café da manhã e o resultado disso? O índice de acidentes caiu, o número de atestados médicos também e a produtividade aumentou. Para tanto, precisamos da parceria do Governo para atender a todas as categorias, não só a nossa. Penso longe, nesse Brasil crescer e todos terem um bom salário.

O Síndico: O que o Sindicato tem feito para a valorização dos porteiros?

Luís José: Temos investido em formação e estamos lançando um curso inédito, que vai ensinar como os porteiros devem se comportar mediante os importantes eventos turísticos que nossa cidade poderá receber nos próximos anos, ligados à Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016. O curso é gratuito somente para os associados e as inscrições estão abertas. Acreditamos que esse é o melhor caminho para a valorização da profissão, com a busca pessoal de cada um por se aperfeiçoar, trazendo não o só crescimento profissional, mas o engrandecimento da cidade e do país. Notamos que, no geral, os brasileiros são desinteressados e apenas fazem o que vai trazer algum retorno, mas se quisermos ganhar um salário condizente e ver esse Brasil crescer, temos que estudar e nos capacitar. Hoje em dia o mercado de trabalho requer maior capacitação e quem não buscar isso, infelizmente vai ficar para trás.

O Síndico: Qual a maior dificuldade que o sindicato enfrenta?

Luís José: Nossa maior dificuldade é com relação ao próprio trabalhador vir ao Sindicato e se filiar. Também existem as críticas e as perseguições dos poderes públicos, mas mesmo assim a categoria está unida. O trabalhador procura vir às assembleias, mas sentimos que deveria existir maior participação. Por mais que se divulgue, sempre há sempre alguém que não escutou, então acho que a iniciativa parte mais da vontade do trabalhador.

O Síndico: Quais são as metas do sindicato para o futuro?

Luís José: É um sonho nosso a profissionalização, que está sendo batalhada pela FENATEC (Federação Nacional dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios), quando uma lei federal regulamentará nossa profissão. O que mais me deixa triste é perceber que ainda existem pessoas que recebem pagamento e assinam com a digital. E a maior dificuldade, quando vamos negociar salários é a falta de cultura dos porteiros. Tenho a impressão que, se tivéssemos mais cultura, nossos salários seriam diferentes.  Porteiro deve ter cultura, saber conversar, boa vontade para trabalhar e, o essencial, participar de cursos que vão beneficiá-lo assim como a outros envolvidos, abrindo sua mente. Todos sabemos que quem tem certa cultura é mais evoluído. Sempre apregoo que as pessoas devem procurar estudar, se informar, ir ao Sindicato e vamos trabalhar juntos.

O Síndico: Como os porteiros podem se filiar ao SINDEDIF?

Luís José: Em Juiz de Fora, são 1.800 porteiros contratados diretamente pelos condomínios, sem contar os terceirizados. Temos 220 filiados e nossa meta é sempre aumentar esse número. Por isso, convidamos a todos os porteiros para que possam se sentir representados pelo nosso Sindicato, que luta em prol das reivindicações da categoria comoaumento de salários, além de oferecer capacitações, treinamentos, descontos e convênios.

Fonte: Equipe do Jornal O Síndico

Histórico de entrevistas

24/09/2017 - Ronaldo Tomaz - Alphaville

09/07/2017 - Entrada somente com autorização

07/06/2017 - Convenção Coletiva dos Trabalhadores em Condomínio 2017

20/04/2017 - Seguro para condomínios é obrigatório

11/07/2016 - Pedro Gatás Bara

13/05/2016 - Com o advogado Cristiano Alexandre Lopes

04/02/2016 - Como combater a inadimplência

09/11/2015 - Entrevista especial - 7º Dia do Síndico

10/09/2015 - Fornecimento de água

15/07/2015 - Delegado revela ação de ladras

27/05/2015 - Porteiros que amam a profissão

16/03/2015 - Convenção coletiva de 2016 e reajuste de salários

12/03/2015 - Economia de energia

19/01/2015 - Condomínio do Edifício Santa Cruz Shopping

06/11/2014 - Vivendo no campo, mas perto da cidade

16/09/2014 - Condomínios empresariais

14/07/2014 - Conscientização é a principal arma contra inadimplência

15/04/2014 - Síndico Edson Curiel Rosa: Advogado

15/04/2014 - Entrevista: Eduardo Lucas, engenheiro civil

06/11/2013 - Gustavo Magalhães, analista técnico e gestor do SEBRAE

30/08/2013 - Célula Gestão de Documentos

08/08/2013 - Telefonia, internet e TV por assinatura

25/04/2013 - Seguro Condominial

21/03/2013 - Dedetização em condomínios

16/11/2012 - Entrevista

26/08/2012 - Sindicato dos Empregados em Edifícios

22/06/2012 - Prevenção

27/04/2012 - Reparos e pintura de fachada

24/02/2012 - VISTORIA PREVENTIVA

14/11/2011 - Juiz de Fora recebe o 3º Dia do Síndico

20/09/2011 - Anselmo Fernandes da Silva - Diretor Geral do Demlurb

15/07/2011 - Thereza Rampinelli, advogada e especialista em Direito Imobiliário

13/05/2011 - Aloísio Lopes Junior, professor do Curso Técnico de Transações Imobiliárias

21/03/2011 - Sgto. Waldeci Silva, analista de projetos

14/01/2011 - CLT

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

08/09/2010 - Nova Lei do Inquilinato

02/07/2010 - Água é vida

07/05/2010 - Gripe A

11/03/2010 - Obras

15/01/2010 - Síndico x administradora

13/11/2009 - Piso limpo e conservado

 
Página Inicial | Anuncie Aqui | Notícias | Currículos | Revista O Síndico | Índices | Contato
Síndico JF © 2014 Desenvolvimento: