Presidente do Sinteac esclarece dúvidas sobre a database 2016



Entrevista publicada no dia: 16/03/2015

Sérgio Felix – presidente do Sinteac

Convenção Coletiva de 2016 e reajuste de salários
 
 
O Síndico: Quantos sindicatos existem em Juiz de Fora relacionados ao trabalho em condomínio? Quais são eles? Quem negocia com quem?

Sérgio Felix: No setor de condomínios, temos quatro sindicatos, dois laborais e dois patronais. Quem representa os interesses dos trabalhadores em conservadoras é o SINTEAC – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio e Conservação de Juiz de Fora. No caso, nós negociamos com o SIEPS – Sindicato das Empresas de Asseio, Conservação, Prestação de Serviços e Mão de Obra Especializada e Não Especializada de Juiz de Fora.  Por outro lado, para os funcionários contratados diretamente pelo condomínio ou administradora, há o SINDEDIF – Sindicato dos Empregados em Edifícios e Empresas de Compra e Venda, Locação, Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora, que negocia com o SINDICON – Sindicato dos Condomínios de Juiz de Fora e Zona da 
Mata Mineira – Patronal. 
 
 
Sabe-se que o piso salarial de um funcionário de condomínio é diferente do piso de um contratado através de conservadora. No caso dos empregados terceirizados, qual foi o aumento salarial das categorias dos porteiros, vigias, faxineiros, garagistas, zeladores e ascensoristas? 
 
Faxineiros, garagistas, zeladores e ascensoristas que trabalham através de uma empresa de conservação tiveram um reajuste de 10,5%; já os porteiros e vigias tiveram um aumento diferenciado de 23%.
 
 
Explique o porquê  do aumento diferenciado dado aos porteiros de condomínios contratados através de conservadoras.
 
Isto ocorreu porque foi estabelecida uma meta para, até 2018, equiparar o salário dos porteiros de condomínios ao dos porteiros de empresas que tinham um piso maior. Desta forma, os porteiros de condomínios passam a ter os mesmos direitos. 
 
 
Houve uma negociação que permitiu diluir o aumento dos porteiros/vigias nos próximos anos. Como então poderá ser repassado aos empregadores?
 
Há duas possibilidades: ou o empregador concede o aumento total de 23% já este ano ou pode parcelá-lo, reajustando em 13% em 2016, 5% em 2017 e mais 5% em 2018, totalizando os 23% designados. Como muitos condomínios estão sofrendo com a alta inadimplência que se estabeleceu em nosso cenário atual por causa da crise econômica, a maioria tem preferido parcelar a conceder o aumento total este ano.
 

Isto não traz uma disparidade de valores de salários?
 
Até 2018, a disparidade existirá, mas cabe ao empregador explicar aos seus funcionários o porquê da diferença para que não haja mal entendido por parte dos empregados que, por ventura, possam vir a comparar seus salários com seus pares de outros condomínios.
 
 
Qual foi o aumento para o tíquete alimentação?
 
Foi concedido um percentual de aumento de 30% para todas as funções, passando o benefício de 10 para 13 reais por dia trabalhado.
 

Houve alguma outra mudança significativa na Convenção Coletiva dos Trabalhadores em Conservadoras de 2016?
 
As maiores alterações ficaram mesmo a cargo do aumento substancial do tíquete e da equiparação do salário dos porteiros de condomínios aos de empresas. Outras mudanças foram evitadas para não onerar muito a folha de pagamento e não causar demissões, sendo nossa principal meta neste ano de crise a manutenção do emprego dos profissionais do nosso Sindicato.
 

A Convenção Coletiva de 2016 já foi homologada pelo Ministério do Trabalho? 
 
Ainda não, mas falta pouco: estamos apenas dependendo de definir alguns ajustes propostos pelo Sindicato Patronal – SIEPS, mas a Convenção já foi assinada por ambas as partes, o que garante sua validade.
 
 
GLOSSÁRIO
 
Data base: Data em que os sindicatos negociam condições de trabalho, como aumento de salário e de auxílio alimentação, piso salarial da categoria, aumento do valor da hora extra, entre outros.

Convenção Coletiva de Trabalho: É um acordo entre os sindicatos de trabalhadores e empregadores que deve ocorrer uma vez por ano, na data base. Seu objeto são as negociações de reajustes, pisos salariais, benefícios, direitos e deveres de empregadores e trabalhadores. Se os sindicatos estiverem de acordo com as condições estipuladas na negociação, assinam a Convenção Coletiva de Trabalho, e o documento deverá ser registrado e homologado no órgão regional do Ministério do Trabalho (DRT). A Convenção Coletiva entra em vigor três dias após a data de entrega (protocolo) no DRT, conforme determina o parágrafo 1º do art. 614 da Consolidação das Leis do Trabalho (C.L.T.).  
 
Piso salarial: É o menor salário pago a um trabalhador dentro de uma categoria profissional específica. 
 
Homologação: Aprovação, ratificação ou confirmação, por autoridade judicial ou administrativa, de certos atos particulares, para se garantir validade jurídica.
 
Sindicato Laboral: Sindicato representante dos trabalhadores.
 
Sindicato Patronal: Sindicato representante dos empregadores.

Fonte: Revista O Síndico - edição 13
Histórico de entrevistas

12/11/2017 - Reforma trabalhista

24/09/2017 - Ronaldo Tomaz - Alphaville

09/07/2017 - Entrada somente com autorização

07/06/2017 - Convenção Coletiva dos Trabalhadores em Condomínio 2017

20/04/2017 - Seguro para condomínios é obrigatório

11/07/2016 - Pedro Gatás Bara

13/05/2016 - Com o advogado Cristiano Alexandre Lopes

04/02/2016 - Como combater a inadimplência

09/11/2015 - Entrevista especial - 7º Dia do Síndico

10/09/2015 - Fornecimento de água

15/07/2015 - Delegado revela ação de ladras

27/05/2015 - Porteiros que amam a profissão

16/03/2015 - Convenção coletiva de 2016 e reajuste de salários

12/03/2015 - Economia de energia

19/01/2015 - Condomínio do Edifício Santa Cruz Shopping

06/11/2014 - Vivendo no campo, mas perto da cidade

16/09/2014 - Condomínios empresariais

14/07/2014 - Conscientização é a principal arma contra inadimplência

15/04/2014 - Síndico Edson Curiel Rosa: Advogado

15/04/2014 - Entrevista: Eduardo Lucas, engenheiro civil

06/11/2013 - Gustavo Magalhães, analista técnico e gestor do SEBRAE

30/08/2013 - Célula Gestão de Documentos

08/08/2013 - Telefonia, internet e TV por assinatura

25/04/2013 - Seguro Condominial

21/03/2013 - Dedetização em condomínios

16/11/2012 - Entrevista

26/08/2012 - Sindicato dos Empregados em Edifícios

22/06/2012 - Prevenção

27/04/2012 - Reparos e pintura de fachada

24/02/2012 - VISTORIA PREVENTIVA

14/11/2011 - Juiz de Fora recebe o 3º Dia do Síndico

20/09/2011 - Anselmo Fernandes da Silva - Diretor Geral do Demlurb

15/07/2011 - Thereza Rampinelli, advogada e especialista em Direito Imobiliário

13/05/2011 - Aloísio Lopes Junior, professor do Curso Técnico de Transações Imobiliárias

21/03/2011 - Sgto. Waldeci Silva, analista de projetos

14/01/2011 - CLT

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

12/11/2010 - Tribunal Arbitral

08/09/2010 - Nova Lei do Inquilinato

02/07/2010 - Água é vida

07/05/2010 - Gripe A

11/03/2010 - Obras

15/01/2010 - Síndico x administradora

13/11/2009 - Piso limpo e conservado

 
Página Inicial | Anuncie Aqui | Notícias | Currículos | Revista O Síndico | Índices | Contato
Síndico JF © 2014 Desenvolvimento: