Neste espaço, você confere as dúvidas dos usuários do portal SINDICOJF respondidas pela Impacto Contabilidade e Administração de Condomínios. Confira todas as perguntas e respostas cadastradas ou faça uma busca para localizar o tema desejado. Quer enviar uma pergunta, clique aqui!

Busca:
Histórico de dúvidas:
« anterior 1 2 3 4 5 [6] 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 próximo »

roberto schuray benjamin

Sou síndico de um prédio de apartamentos com 7 andares. O mesmo não tem porta corta fogo e nem tem condições para esta ser instalada. O prédio é de 1996 e recebeu habite-se normalmente da Prefeitura local.Antes de providenciar regularizar o prédio para requer o AVCB, gostaria de saber a partir de que data foi exigida a porta corta fogo para prédios de residência com 7 andares. Qual legislação obriga a porta corta fogo. Se a inexistência dessa porta for motivo para não ser expedido o AVCB, vou tomar todas as providências, porém não vou requerer o AVCB por ficar muito caro e acabar não recebendo. Aguardo resposta com urgência.

Prezado Roberto, sendo a edificação  unifamiliar e construída antes do Decreto 44.746, é aconselhável procurar o engenheiro que fez o projeto de incêndio, para que ele se oriente junto ao corpo de bombeiros sobre a necessidade de refazer ou não o projeto, e se a estrutura permite  modificações, repassando as informações à síndica. Só assim ela poderá tomar qualquer decisão

Sobre a AVCB: Se tem o abite-se, prova que esta vistoria já foi feita e o mesmo expedido na época, ou seja, em 1996, neste caso, sugiro esperar e manter os agentes extintores em condições de uso e locados conforme projeto atual.

- Extintores de com sua carga dentro do prazo de validade e bem sinalizada.

- Hidrantes sinalizados e com as mangueiras, chaves storz,  em boas condições de uso.

- Reservatório de água próprio para combate a incêndio.

- Corredores e escadas desobstruídas.

- Sinalização indicando a saída em caso de incêndio.

- Sinalização com a proibição do uso dos elevadores em caso de incêndio.

- Manter os moradores informados de como evacuar a edificação em caso de incêndio.

- Ter um alarme para ser usado em caso de sinistro, que todos tenham conhecimento do mesmo.

Quem respondeu foi o técnico especialista em segurança do trabalho Hermógenes Ramos do Nascimento. O e-mail de contato é: hermesranas@hotmail.com.

Maria Lucia

A Convenção do meu condomínio diz: "O edifício terá um síndico, pessoa ou entidade não estranha ao condomínio..." Qual o significado legal de "pessoa ou entidade não estranha"?

Com o advento do Código Civil de 2002, o legislador deu a oportunidade a pessoas estranhas ao condomínio de exercer a função de síndico, conforme previsão do artigo 1.347  que diz: "A assembléia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino para administrar o condomínio, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se". Desta forma, esta clausula da convenção do seu condomínio pode ser nula já que se confronta com o código.Quem respondeu sua dúvida foi Impacto Contabilidade e Administração de Condomínios que fica à Av. Barão do Rio Branco, nº 671, sala 701, Manoel Honório,(32) 3212-7695 / 8866-5551 /8866-5549.

roberto schuray benjamin

Hoje hou um caso aqui no prédio. Fomos avisados pela CPFL que a área onde está o prédio ficaria sem energia durante 5,30h. Comuniquei a todos durante uma semana com aviso em um cartaz.Liguei avisando no dia marcado. Dois condôminos não se preveniram tirando o carro  da garagem, já que deveriam usá-lo naquele espaço de tempo. O único funcionário que temos é a faxineira. Os que deixaram o carro na garagem quiseram sair abrindo o portão manualmente, porém deixando-o livre pra ser aberto após ter sido fechado, sem estar travado. Não tendo um funcionário pra ficar de "guarda" no portão, achei que ao invés de deixar o portão livre para ser aberto, cada um que tirasse o carro estacionando-o nas proximidades ou onde quisessem! Acho que deixar abrir manualmente o portão e deixá-lo fácil para ser aberto colocaria em risco os carros estacionados na garagem e o interior do prédio! Qual seria a melhor solução: que cada uma se prevenisse antecipando a retirada do carro da garagem ou deixando o portão livre para ser aberto e fechado manualmente sem nenhum recurso para travá-lo e nenhum funcionário para ficar de guarda no portão?

Segundo o nosso entendimento, o condomínio agiu corretamente prevenindo os moradores sobre o fato com antecedência, preocupando-se com a segurança, já que a falta de energia poderia deixar o condomínio vulnerável a assaltos.Quem respondeu sua dúvida foi Impacto Contabilidade e Administração de Condomínios que fica à Av. Barão do Rio Branco, nº 671, sala 701, Manoel Honório,(32) 3212-7695 / 8866-5551 /8866-5549.

« anterior 1 2 3 4 5 [6] 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 próximo »
 
Página Inicial | Anuncie Aqui | Notícias | Currículos | Revista O Síndico | Índices | Contato
Síndico JF © 2014 Desenvolvimento: