Trabalhadores organizados em Sindicato ganham mais

05 ago | 2 minutos de leitura
Os empregados que têm Sindicato recebem mais do que o salário mínimo vigente no Brasil porque têm direito ao piso salarial da classe, que geralmente é superior ao salário mínimo

Por que os trabalhadores dos condomínios e das imobiliárias ganham mais do que os trabalhadores que não têm Sindicato? Exatamente porque os trabalhadores dos condomínios e das imobiliárias têm Sindicato.

Ao contrário dos trabalhadores não organizados em Sindicato, que recebem apenas o salário mínimo vigente no Brasil, hoje fixado em R$ 1.100,00, os empregados que têm Sindicato recebem mais do que o salário mínimo porque têm direito ao piso salarial da classe, que geralmente é superior ao salário mínimo.

O piso salarial e os reajustes salariais são conquistas do Sindicato trabalhista. Se outras razões não existissem, bastaria este motivo para justificar a utilidade e a importância do Sindicato trabalhista.

Na verdade, são vários os aspectos que mostram que o Sindicato trabalhista é muito importante na luta dos trabalhadores por melhorias salariais e melhores condições de vida e de trabalho. Mas não há dúvida de que o mais importante de todos esses aspectos é justamente o fato de que o salário recebido por trabalhadores integrantes de categorias organizadas em Sindicato é sempre (ou quase sempre) superior ao salário mínimo.

No caso, por exemplo, dos funcionários dos condomínios e das imobiliárias de Juiz de Fora, graças à luta do Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora – SINDEDIF-JF, o atual piso salarial dos funcionários dos condomínios comerciais é de R$ 1.307,00, e o piso salarial dos funcionários das imobiliárias é de R$ 1.278,85, sendo, portanto, respectivamente, R$ 207,00 e R$ 178,85 a mais do que o salário mínimo. Isso por mês!

Vale a pena calcular quanto isso dá em 12 meses (período de vigência da Convenção Coletiva de Trabalho que garante o piso salarial aos empregados representados pelo Sindicato). São 13 salários (12 durante o ano + o 13º), além do depósito mensal do FGTS.

Por estas e outras razões, os trabalhadores devem reconhecer a importância do Sindicato. Afinal, se o Sindicato não existisse, os trabalhadores dos condomínios e das imobiliárias estariam recebendo apenas o salário mínimo, sem essas vantagens que fazem a diferença entre os ganhos do trabalhador organizado em Sindicato e os recebimentos do trabalhador que não tem uma entidade sindical para defender seus interesses.

Isso sem falar nas outras melhorias que o Sindicato já conquistou para esses trabalhadores. Exemplificando, pode-se citar o adicional de hora extra de 75% dos condomínios e 80% das imobiliárias (a Constituição Federal garante apenas 50%), além dos benefícios oferecidos pelo Sindicato na área assistencial (assistências médica, odontológica e jurídica).

Daí a grande importância do Sindicato na vida dos trabalhadores.

Finalizando, vale ressaltar que seria ótimo para o Sindicato e consequentemente para os próprios trabalhadores se todos eles reconhecessem isso e dessem mais valor à sua entidade de classe.

FONTE: O Combate


Projeto de lei quer obrigar condomínios em JF a denunciar casos de violência doméstica26, novembro 2021

Projeto de lei quer obrigar condomínios em JF a denunciar casos de violência doméstica

Condomínios residenciais, comerciais e mistos existentes em Juiz de Fora podem ser obrigados a comunicar casos de violência doméstica ocorridos em suas […]

Leia mais
Quais as responsabilidades do condomínio sobre furtos?25, novembro 2021

Quais as responsabilidades do condomínio sobre furtos?

Saiba os direitos e deveres dos moradores e como agir nessa situação Mesmo tomando todos os cuidados com a segurança e tendo […]

Leia mais
Como organizar as chaves no condomínio?24, novembro 2021

Como organizar as chaves no condomínio?

Como sabemos, organização é característica imprescindível para os síndicos. Objetivando ajudar nesta tarefa, este artigo vai abordar o tema chaves no condomínio. Tudo começa […]

Leia mais