Decidir e recomeçar. Eis a solução

08 nov | 2 minutos de leitura

ESCRITO POR: José Maria Braz Pereira


Viveremos uma nova era, onde precisaremos nos decidir diante de situações diversas, a fim de recomeçarmos.

Iniciamos saudando os síndicos, que são pessoas que, eleitas pelos moradores para cumprir uma formalidade, recebem uma série de problemas, deveres e atribuições que, muitas vezes, lhe são desconhecidos, mas que não os isentam das responsabilidades, apesar das circunstâncias adversas que o levaram a ocupar tal encargo.

Ocupar o cargo de síndico é uma tarefa difícil quando se está disposto a fazer um bom trabalho porque lida com situações variadas, com cobranças constantes e críticas, algumas justas, outras sem fundamentos. Daí, o papel de síndico é de suma importância na gestão (administração), manutenção e solução de problemas do condomínio. Recebam nossas homenagens pelo seu dia e tenham um final de ano feliz e um ano novo de sucessos.

Ainda sem saber como estaremos no novo ano, certamente depois de passada a pandemia, seremos colocados numa pós-crise, como tantas outras já vividas pela humanidade. Já sabemos que, na vida empresarial, alguns vão ficar e outros vão passar, pois crise é como peneira, separa.

Em razão destes fatos, pesquisamos o passado e verificamos que tempo de crise é tempo de novas ideias. Como exemplo, citamos a bicicleta, que surgiu em 1815, após a crise do vulcão na Indonésia, onde o transporte era feito por cavalos e, com a morte de um número incalculável desses animais, surgiu a ideia de juntar duas rodas e, sobre elas, uma tábua, apoiando uma sela ligada ao guidão. Com os pés, as pessoas davam passos e conseguiam caminhadas longas, surgindo daí a ideia de acionar a corrente e os pedais. Isso nos anos 1860.

A ideia da bicicleta está aí, em pleno vigor, além de meio de transporte, é um instrumento de treinamento físico. Reportando ao nosso título, viveremos uma nova era, onde precisaremos nos decidir diante de situações diversas, a fim de recomeçarmos, darmos uma nova chance a nós mesmos, acreditando em si.

“Na vida empresarial, alguns vão ficar e outros vão passar, pois crise é como peneira, separa”

Será preciso reavaliar nossas possibilidades, lembrando alguns conceitos antigos, como “a pressa é inimiga da perfeição”. Mas não podemos parar. Lembro aqui o velho ditado francês cuja tradução é “Quem não pode galopar, trota”, ou seja, não podemos esperar as condições ideais, ao contrário, devemos nos lançar, planejando a ação, reinventando.

Para conseguirmos bons resultados, lembremos que o isolamento social, nos colocou diante de uma realidade que nos mostrou seres pensantes e sociais, ou seja, que não podemos viver isolados. Não podemos esquecer que a vida coletiva nos condomínios precisa de líderes preparados. A aprendizagem é um processo contínuo, onde ética e confiança devem prevalecer. Nossos estudos nos levarão a novos tempos. Precisamos nos humanizar, aprender a comunicar melhor, dialogar, enfim, teremos que acabar com as portas que só abrem por dentro.

Que o ano 2021 seja de parceria de muita oportunidade para aprender.

FONTE: Revista O Síndico – Edição 41


Tecnologia, conforto e economia28, outubro 2021

Tecnologia, conforto e economia

ESCRITO POR: Henrique Junior Empresário, administrador de empresas e especialista em tecnologia, gestão empresarial e finanças No artigo anterior, falamos sobre a questão […]

Leia mais
Por que as minhas plantas não crescem?1, outubro 2021

Por que as minhas plantas não crescem?

ESCRITO POR: André Cenak Administrador de empresas e especialista em jardins verticais e horizontais, telhados verdes, hortas e projetos de paisagismo Olá, […]

Leia mais
Endividamento por cartão de crédito impacta recebimento das taxas condominiais15, setembro 2021

Endividamento por cartão de crédito impacta recebimento das taxas condominiais

ESCRITO POR: Cristiano Magri Graduado em Administração e pós-graduado em Finanças, Auditoria e Controladoria na FGV, sócio-diretor da Ativa Cobrança Há um […]

Leia mais