IPTU, IPVA, escola, taxa de condomínio: como planejar os gastos de início de ano?

25 fev | 1 minuto de leitura

ESCRITO POR: Cristiano Magri
Graduado em Administração e pós-graduado em Finanças, Auditoria e Controladoria na FGV, sócio-diretor da Ativa Cobrança


Início de ano é sempre um período de pagamento de despesas extras como IPVA, seguro, IPTU, matrícula escolar o que acaba onerando o bolso do condômino, fazendo com que ele utilize, muitas vezes, crédito com taxas altas oferecidas por instituição financeiras, cartão de crédito e cheque especial. Os juros de cartão de crédito são de 364% ao ano, e do cheque especial 300%. Com o aumento da SELIC, que baliza as taxas praticadas pelos bancos, esses valores tendem a subir, aumentando consequentemente o risco de inadimplemento.

Por isso, é importante contar com um fundo de reserva. Ele deve ser planejado durante o ano, para que essas despesas extras não comprometam mais do que 30% da renda familiar. É importante também possuir uma planilha com todos os custos fixos, recorrentes, que são pagos mensalmente, tais como, taxas condominiais, aluguel, telefone, prestação do apartamento, internet, entre outros, e custos variáveis como alimentação fora de casa, transporte, lazer, combustível, juros, multas por atraso e impostos, IPTU, IPVA, etc. Somar para saber de forma exata os custos totais da família, e analisar como podem ser otimizados. Geralmente os cortes de custos são feitos nas despesas variáveis. Se houver dificuldade de utilizar o Excel, faça no papel.

A taxa condominial é o rateio das despesas condominiais. Ela não deve ser cortada do seu orçamento, pois possui uma base de cálculo que representa o montante do valor que será dividido para as unidades que compõem o condomínio. Em alguns casos, essa base de cálculo é a previsão orçamentária fixa, ou as despesas do mês anterior o que leva o condomínio a ter uma taxa variável. O rateio é feito respeitando sempre a convenção do condomínio, podendo ser calculado por fração ideal ou por unidade.

Planeje o orçamento familiar, gaste menos do que recebe, evite compras por impulso, tenha a taxa condominial como prioridade, não tenha vergonha de ficar inadimplente, mas busque soluções.  A crise é sempre uma boa educadora financeira!


Conteúdo Repostado | Alteração de fachada17, maio 2022

Conteúdo Repostado | Alteração de fachada

ESCRITO POR: José Maria Consultor de empresas voltado para área de Recursos Humanos e Consultor na área de Administração de Condomínios O […]

Leia mais
Locação por temporada em condomínios e a vigência da MP 1.108/202223, abril 2022

Locação por temporada em condomínios e a vigência da MP 1.108/2022

ESCRITO POR: Cristiano Oliveira Advogado condominial, membro do Grupo de Excelência em Administração de Condomínios – GEAC do CRA/SP As locações por […]

Leia mais
Biometria facial: um aliado ao fator segurança21, janeiro 2022

Biometria facial: um aliado ao fator segurança

ESCRITO POR: Henrique Junior Empresário, administrador de empresas e especialista em tecnologia, gestão empresarial e finanças Falo sem medo de errar: segurança é […]

Leia mais