Tira-teima com Sérgio Craveiro

20 nov | 3 minutos de leitura
Professor Sérgio Craveiro (SP) é especialista em formação de profissionais para o mercado de condomínios
Sérgio Craveiro

Nesta edição, o professor e consultor Sérgio Craveiro, presidente da Confederação Nacional dos Síndicos do Brasil e especialista em formação de profissionais para o mercado de trabalho em condomínios, respondeu a uma série de perguntas que a Lógica Comunicação / revista “O Síndico” selecionou de participantes das palestras que promoveu ao longo dos anos passados em Juiz de Fora. Desta forma, várias dúvidas foram sanadas e uma delas também pode ser a sua. Confira abaixo.

Quando ocorre a substituição do síndico, por término de mandato, o banco pode exigir que a Ata que o elegeu tenha que ser registrada em cartório?

Sim, pode e irá exigir, pois para ter validade perante terceiros e órgãos públicos a Ata deve ter registro.

Meu condomínio não tem CNPJ. É possível abrir uma conta no banco para ele?

Não é possível. Somente abrindo um CNPJ para o condomínio na Receita Federal.

Um imóvel está com condomínio atrasado, o inquilino quer fazer um acordo, e o sindico autoriza. Em nome de quem é feito o acordo, do inquilino ou do proprietário?

Jamais o acordo deve ser feito em nome do inquilino. Sempre em nome do proprietário que tem a responsabilidade pelo pagamento do Condomínio.

Caso um antenista, prestando serviços para o condomínio sofra um acidente e caia do telhado, de quem é a responsabilidade?

De quem o contratou. Se o contratante for o condomínio, será sua responsabilidade, por isso é importante fazer seguro de vida para os contratados de qualquer natureza. Se o contratante for algum condômino, para arrumar uma antena do respectivo apartamento, o condômino se responsabiliza.

O síndico tem obrigação de comunicar aos condôminos a existência de uma república no condomínio?

Não tem obrigação.

Fale sobre a necessidade da instalação de corrimãos e de atualizações nos prédios de construções antigas, assim como da contratação de firmas especializadas neste tipo de projeto.

São os projetos de AVCB ( Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) que vencem normalmente de ano em ano. Este procedimento é de segurança para os condôminos e o Corpo de Bombeiros de cada cidade tem uma norma diferente. Deve-se adequar às normas, sempre que houver alteração, principalmente condomínios antigos.

Em assembleia ordinária, os condôminos solicitaram algumas modificações (instalação de grades, borrachas para evitar que carros desgastem a pintura, etc.) que são obras úteis. Porém, em reuniões posteriores, não foi aprovada a taxa extra para sua execução. Há ainda necessidade de realizarmos outras obras necessárias como troca de portão eletrônico de garagem que vive com problemas, como resolver?

Pode ter sido aprovada a instalação de grades, borrachas etc, mas se os condôminos não aprovarem o valor para a aquisição dessas instalações somente resta ao síndico não realizá-las. Para obras necessárias, deve-se sempre usar o Fundo de Reserva, e caso não tenha o recurso financeiro, realizar uma assembleia para arrecadação do valor, conforme determina o artigo 1.341 do Código Civil.

O que fazer quando o síndico, há muito tempo, não presta contas de sua administração, apesar de tentativas?

Conforme o artigo 1.349 do Código Civil, ele pode ser destituído em Assembleia Geral convocada especificamente para isso, por ¼ (um quarto) dos condôminos que devem assinar um termo de abaixo assinado.

Faço reuniões no condomínio, mas participam poucos moradores. O que fazer?

O que pode ser feito é uma campanha de conscientização.

O que se procede antes da multa, ou seja, o que leva o condomínio a aplicar uma multa?

Normalmente, uma advertência e anexo a esta advertência, enviar o Regulamento Interno e a Convenção do Condomínio para que o infrator não alegue desconhecimento.

O síndico pode ter acesso ao interior dos apartamentos para verificar a parte hidráulica do mesmo já que o consumo de água está aumentando e os moradores, principalmente inquilinos, não dão importância a vazamentos e etc?

Pode sim, desde que avisado com antecedência, conforme determina o artigo 1.331 do Código Civil.

FONTE: Revista O Síndico – Edição 17


Zona Norte de Juiz de Fora ganha uma administradora10, maio 2022

Zona Norte de Juiz de Fora ganha uma administradora

Assessoria Condominial Moinho volta seu foco para região em expansão Uma empresa criada com o objetivo de proporcionar atendimento personalizado e de […]

Leia mais
CRA-MG cria Grupo Temático de gestão de condomínios3, maio 2022

CRA-MG cria Grupo Temático de gestão de condomínios

Na última edição de “O Síndico em Revista”, você ficou sabendo sobre o importante papel exercido pela Conselho Regional de Administração de […]

Leia mais
Governo federal sanciona lei que permite assembleias virtuais nos condomínios28, abril 2022

Governo federal sanciona lei que permite assembleias virtuais nos condomínios

A Lei n° 14.309/22 ainda estabelece a possibilidade de ser instaurada sessão permanente A pandemia acelerou o uso da tecnologia em diversos […]

Leia mais