Saiba como evitar problemas na mudança para um novo prédio

02 abr | 4 minutos de leitura
Especialistas esclarecem regras para o morador ter uma mudança mais tranquila

Mudança é sinônimo de problema para muitas pessoas, segundo uma pesquisa realizada pela imobiliária QuintoAndar. Especialistas em condomínios dão dicas para deixar o momento menos estressante para o novo morador e para a própria administração e funcionários do prédio.

O primeiro ponto essencial é estar atento às regras do condomínio. O regimento interno define em quais horários e dias da semana é permitido realizar a mudança.

“Geralmente é de segunda a sexta ou de segunda a sábado, no horário comercial. Nos sábados, o horário costuma ser reduzido, mas cada condomínio tem sua regra. Por isso, é importante estar atento. O novo morador precisa fazer o agendamento da mudança com o zelador, síndico ou via administradora, defende a síndica. “Primeiro, a pessoa tem que se apresentar como novo proprietário ou inquilino do apartamento”, afirma a síndica Catarina Anderaos.

Caso seja preciso içar móveis ou itens que não cabem no elevador, como um piano, também é preciso fazer o agendamento com o prédio, já que pode ser necessário preparar a área comum no térreo para isso.

“Quando alguém vende um apartamento ou aluga, um novo condômino que não conhece as regras vai entrar. Então, é recomendável que o proprietário entregue uma cópia do regimento para essa pessoa”, defende Alexandre Callé, advogado especialista em condomínios. O síndico também pode ter essa atitude de oferecer uma cópia do documento que contém as regras do prédio.

O condomínio deve disponibilizar o elevador e prepará-lo, caso necessário. Forros ou proteções podem ser utilizadas para evitar danos à cabine. Para a síndica Catarina Anderaos, colocar um funcionário para acompanhar a mudança é um ponto importante para orientação e supervisão. “A pessoa pode acompanhar a movimentação e também verificar se a equipe da mudança está fazendo tudo direitinho, sem danificar paredes, pisos e o próprio elevador”, explica.

Anderaos também dá dicas em relação à convivência para quem está chegando no prédio. “Após a mudança terminada, a pessoa deve ficar atenta a questão do barulho, não ficar arrastando móvel ou usando furadeira depois do horário permitido”, argumenta.

O levantamento também atestou surpresas desagradáveis que os novos condôminos percebem após ingressarem no apartamento. Problemas de infiltração, vazamentos ou outros problemas hidráulicos e problemas com a rede elétrica estão entre as principais reclamações do “pós mudança”.

Se o imóvel for alugado, a responsabilidade de resolver esses problemas é do proprietário, não do inquilino. “Independentemente de não ter sido identificado no momento do ingresso e seja uma situação que só foi identificada durante a moradia, o proprietário é quem responde”, diz Rodrigo Karpat.

O proprietário, por sua vez, deve fazer um trabalho de investigação a fim de identificar a origem do problema. “A recomendação é contratar um engenheiro ou arquiteto para verificar se é um problema do próprio apartamento ou do condomínio”, complementa Alexandre Callé.

Regras e orientações para a mudança

Horários

  • O regimento interno de cada condomínio define os horários e dias permitidos
  • Alguns condomínios permitem mudanças aos sábados; outros, só entre segunda e sexta-feira

Dicas para o novo condômino

  • Buscar conhecer as regras do condomínio e pedir uma cópia do regimento interno ao síndico
  • Agendar a mudança com o zelador e deixar a portaria avisada
  • Se for preciso içar móveis, contratar uma empresa especializada e agendar data e horário com o condomínio
  • Respeitar horários de barulho se for preciso fazer reformas ou obras, mesmo que pequenas
  • Fazer o descarte correto dos resíduos da mudança

Dicas para o condomínio

  • Disponibilizar e preparar o elevador colocando proteções na cabine, se necessário
  • Recomenda-se que um funcionário acompanhe a mudança por dois motivos: o primeiro pela segurança, já que são muitos funcionários da mudança entrando e saindo. O segundo para supervisionar e orientar, ficando atento a quaisquer danos à estrutura do prédio no processo

10 principais problemas de quem acabou de se mudar

  1. Problemas de infiltração, vazamentos ou outros problemas hidráulicos
  2. Problemas com a rede elétrica
  3. Problemas com os vizinhos
  4. Problemas com insetos
  5. Outros problemas com a infraestrutura do imóvel
  6. As contas são mais caras do que o esperado
  7. Não bate sol
  8. A região tem muito trânsito

Entrei em um novo apartamento e notei problemas, como proceder?

  • Problemas hidráulicos ou elétricos, por exemplo, devem ser resolvidos pelo proprietário
  • A responsabilidade é do proprietário mesmo se o problema não foi identificado no momento de vistoria ou ingresso do novo condômino
  • O inquilino pode, inclusive, desocupar o apartamento sem pagamento de multa, se o proprietário não resolver
  • O proprietário, por sua vez, deve contratar um engenheiro ou arquiteto para fazer um laudo do problema
  • O engenheiro ou arquiteto vai constatar se o problema é do apartamento ou do condomínio
  • Se for um problema do prédio, o condomínio é responsável pela resolução

FONTE: Agora


Como evitar pagar multas por atraso no condomínio?30, junho 2022

Como evitar pagar multas por atraso no condomínio?

Excesso de barulho, falta de responsabilidade com pets, desrespeito ao uso das vagas de garagem, falta de pagamento da cota condominial, entre […]

Leia mais
É hora de homenagear os profissionais pelo Dia do Porteiro!28, junho 2022

É hora de homenagear os profissionais pelo Dia do Porteiro!

José Geraldo atua há 24 anos em condomínio. para ele, responsabilidade resume o serviço Há 19 anos, a rotina de José Geraldo […]

Leia mais
Confira a 50ª edição da revista O Síndico27, junho 2022

Confira a 50ª edição da revista O Síndico

A revista O Síndico, que circula em maio e junho, acaba de sair e está repleta de assuntos interessantes ao ramo condominial. […]

Leia mais