Saiba como evitar problemas na mudança para um novo prédio

29 nov | 4 minutos de leitura
Especialistas esclarecem regras para o morador ter uma mudança mais tranquila

Mudança é sinônimo de problema para muitas pessoas, segundo uma pesquisa realizada pela imobiliária QuintoAndar. Especialistas em condomínios dão dicas para deixar o momento menos estressante para o novo morador e para a própria administração e funcionários do prédio.

O primeiro ponto essencial é estar atento às regras do condomínio. O regimento interno define em quais horários e dias da semana é permitido realizar a mudança.

“Geralmente é de segunda a sexta ou de segunda a sábado, no horário comercial. Nos sábados, o horário costuma ser reduzido, mas cada condomínio tem sua regra. Por isso, é importante estar atento. O novo morador precisa fazer o agendamento da mudança com o zelador, síndico ou via administradora, defende a síndica. “Primeiro, a pessoa tem que se apresentar como novo proprietário ou inquilino do apartamento”, afirma a síndica Catarina Anderaos.

Caso seja preciso içar móveis ou itens que não cabem no elevador, como um piano, também é preciso fazer o agendamento com o prédio, já que pode ser necessário preparar a área comum no térreo para isso.

“Quando alguém vende um apartamento ou aluga, um novo condômino que não conhece as regras vai entrar. Então, é recomendável que o proprietário entregue uma cópia do regimento para essa pessoa”, defende Alexandre Callé, advogado especialista em condomínios. O síndico também pode ter essa atitude de oferecer uma cópia do documento que contém as regras do prédio.

O condomínio deve disponibilizar o elevador e prepará-lo, caso necessário. Forros ou proteções podem ser utilizadas para evitar danos à cabine. Para a síndica Catarina Anderaos, colocar um funcionário para acompanhar a mudança é um ponto importante para orientação e supervisão. “A pessoa pode acompanhar a movimentação e também verificar se a equipe da mudança está fazendo tudo direitinho, sem danificar paredes, pisos e o próprio elevador”, explica.

Anderaos também dá dicas em relação à convivência para quem está chegando no prédio. “Após a mudança terminada, a pessoa deve ficar atenta a questão do barulho, não ficar arrastando móvel ou usando furadeira depois do horário permitido”, argumenta.

O levantamento também atestou surpresas desagradáveis que os novos condôminos percebem após ingressarem no apartamento. Problemas de infiltração, vazamentos ou outros problemas hidráulicos e problemas com a rede elétrica estão entre as principais reclamações do “pós mudança”.

Se o imóvel for alugado, a responsabilidade de resolver esses problemas é do proprietário, não do inquilino. “Independentemente de não ter sido identificado no momento do ingresso e seja uma situação que só foi identificada durante a moradia, o proprietário é quem responde”, diz Rodrigo Karpat.

O proprietário, por sua vez, deve fazer um trabalho de investigação a fim de identificar a origem do problema. “A recomendação é contratar um engenheiro ou arquiteto para verificar se é um problema do próprio apartamento ou do condomínio”, complementa Alexandre Callé.

Regras e orientações para a mudança

Horários

  • O regimento interno de cada condomínio define os horários e dias permitidos
  • Alguns condomínios permitem mudanças aos sábados; outros, só entre segunda e sexta-feira

Dicas para o novo condômino

  • Buscar conhecer as regras do condomínio e pedir uma cópia do regimento interno ao síndico
  • Agendar a mudança com o zelador e deixar a portaria avisada
  • Se for preciso içar móveis, contratar uma empresa especializada e agendar data e horário com o condomínio
  • Respeitar horários de barulho se for preciso fazer reformas ou obras, mesmo que pequenas
  • Fazer o descarte correto dos resíduos da mudança

Dicas para o condomínio

  • Disponibilizar e preparar o elevador colocando proteções na cabine, se necessário
  • Recomenda-se que um funcionário acompanhe a mudança por dois motivos: o primeiro pela segurança, já que são muitos funcionários da mudança entrando e saindo. O segundo para supervisionar e orientar, ficando atento a quaisquer danos à estrutura do prédio no processo

10 principais problemas de quem acabou de se mudar

  1. Problemas de infiltração, vazamentos ou outros problemas hidráulicos
  2. Problemas com a rede elétrica
  3. Problemas com os vizinhos
  4. Problemas com insetos
  5. Outros problemas com a infraestrutura do imóvel
  6. As contas são mais caras do que o esperado
  7. Não bate sol
  8. A região tem muito trânsito

Entrei em um novo apartamento e notei problemas, como proceder?

  • Problemas hidráulicos ou elétricos, por exemplo, devem ser resolvidos pelo proprietário
  • A responsabilidade é do proprietário mesmo se o problema não foi identificado no momento de vistoria ou ingresso do novo condômino
  • O inquilino pode, inclusive, desocupar o apartamento sem pagamento de multa, se o proprietário não resolver
  • O proprietário, por sua vez, deve contratar um engenheiro ou arquiteto para fazer um laudo do problema
  • O engenheiro ou arquiteto vai constatar se o problema é do apartamento ou do condomínio
  • Se for um problema do prédio, o condomínio é responsável pela resolução

FONTE: Agora


Prédios inteligentes: tendência dos lançamentos para 202229, janeiro 2022

Prédios inteligentes: tendência dos lançamentos para 2022

Prédios mais inteligentes, parcerias com empresas para serviços especializados nos condomínios e uso de soluções sustentáveis são aspectos que cada vez mais […]

Leia mais
O fundo de reserva nos condomínios: entenda como ele funciona28, janeiro 2022

O fundo de reserva nos condomínios: entenda como ele funciona

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo. Em […]

Leia mais
Decisão judicial reitera a obrigatoriedade de registro no CRA-SP para administradoras de condomínios27, janeiro 2022

Decisão judicial reitera a obrigatoriedade de registro no CRA-SP para administradoras de condomínios

Uma recente decisão judicial, proferida pela Terceira Turma do TRF-3, foi favorável às ações que a fiscalização do Conselho Regional de Administração […]

Leia mais