O morador pode empreender dentro do condomínio?

16 maio | 2 minutos de leitura
Saiba se você pode usar sua unidade como área comercial

O morador pode empreender dentro do condomínio? Esta é uma pergunta que muitos moradores de condomínios residenciais têm feito ultimamente, especialmente durante a pandemia da Covid-19, que tem levado muitas pessoas a buscar alternativas para trabalhar em casa. A resposta, no entanto, não é simples e depende de uma série de fatores.

De acordo com a legislação brasileira, o exercício de atividade comercial em condomínio residencial é permitido desde que não haja desvio da finalidade de moradia. Isso significa que atividades comerciais que tenham fluxo de funcionários, de clientes ou que infrinjam as regras do condomínio não são permitidas dentro do condomínio, como, por exemplo, uma loja ou um escritório comercial.

O advogado especialista em direito condominial Issei Yuki Júnior comenta que isso se justifica pelo fato de que o condomínio é um espaço destinado à moradia, e não à atividade comercial. Um fluxo intenso de estranhos ou de correspondência, excesso de barulho, mau cheiro e tudo aquilo que possa colocar em risco a coletividade é proibido.

No entanto, atividades que não contenham fluxo de pessoas, como home office, contadores, artesãos e qualquer outra atividade que não se enquadre nas características mencionadas anteriormente, podem ser exercidas dentro do condomínio.

Mas e quanto ao pagamento adicional? O condômino que empreende dentro do condomínio precisa pagar a mais?

“Não há nenhuma exigência legal que obrigue o condômino que exerce atividade comercial em um condomínio residencial a efetuar um pagamento adicional por realizar seu trabalho. Tal cobrança pode ser considerada prática abusiva”, destaca Issei Yuki.

No entanto, é importante lembrar que o condômino que empreende dentro do condomínio deve arcar com as despesas decorrentes da atividade, tais como o consumo de água, energia elétrica, telefone, internet, entre outros.

E quanto às feiras, como ficam nesse caso?

A realização de feiras em condomínios residenciais, embora seja uma atividade comercial, pode ser permitida mediante aprovação do quórum de maioria simples ou de 100% dos condôminos, dependendo da frequência.

É importante que a empresa contratada possua autorização municipal para operar e que os profissionais ou empresas que atuam nos espaços comuns estejam regularizados perante o órgão responsável e cumpram as leis trabalhistas.

“Além disso, é necessário que a atividade não cause prejuízo à segurança, à saúde e ao sossego dos moradores do condomínio. Por isso, é recomendável que as feiras sejam realizadas em horários pré-determinados e que sejam tomadas medidas para minimizar os impactos, como a utilização de equipamentos de som adequados e a contratação de seguranças”, finaliza o advogado.

FONTE: Rota Jurídica


Vagas de garagem causam transtornos em condomínios9, fevereiro 2024

Vagas de garagem causam transtornos em condomínios

Brigas, confusões e até casos de polícia: quem mora em condomínios certamente já se envolveu ou conhece alguém que tenha entrado em […]

Leia mais
Carnaval no condomínio sem conflitos: quais as regras?6, fevereiro 2024

Carnaval no condomínio sem conflitos: quais as regras?

O Carnaval está chegando e a maior festa do país convida a um período de muitas festas e diversões. Em meio aos […]

Leia mais
Cuidados importantes para a temporada de verão3, fevereiro 2024

Cuidados importantes para a temporada de verão

Todo início de ano vem as chuvas intensas de verão e é um período muito temido por toda sociedade, principalmente porque é […]

Leia mais