Uso de máscaras volta a ser obrigatório em Juiz de Fora

07 jun | 4 minutos de leitura
Medida é válida a partir desta quarta-feira para escolas, equipamentos de saúde, transporte e funerais; casos de Covid-19 mais que dobram

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio de portaria, voltou a determinar o uso obrigatório de máscara de proteção facial em alguns ambientes fechados no município. A medida é válida a partir desta quarta-feira (8) e, conforme a PJF, considera o aumento na incidência de casos positivos da Covid-19 registrados na cidade durante as últimas semanas. O uso volta a ser obrigatório em estabelecimentos de ensino, equipamentos de saúde, transporte público, escolar, individual ou por aplicativo, e também em funerais. De acordo com a PJF, a medida é de caráter excepcional e temporário.

Na cidade, o uso de máscaras em todos os locais havia se tornado facultativo – incluindo transporte público, instituições de ensino, elevadores e estabelecimentos de saúde – desde 16 de maio. Entretanto, a nova portaria determina o uso de máscara especialmente em unidades de saúde, como clínicas, ambulatórios e hospitais. Todos os profissionais de saúde, pacientes, acompanhantes e visitantes devem manter o uso da proteção durante a permanência nos estabelecimentos. O uso da proteção também é obrigatório nas creches e instituições de ensino públicas e privadas. Além disso, a nova norma prevê que velórios, funerais e ofícios fúnebres, em cemitérios públicos, de pessoas suspeitas ou diagnosticadas com Covid-19, deverão manter a restrição de cortejo e aglomerações.

Na região, municípios como Santos Dumont, Três Rios, Paraíba do Sul e Chácara, devido ao aumento de casos da doença, já haviam enrijecido os protocolos de combate ao coronavírus novamente. Na última sexta-feira (3), o Município de Leopoldina também voltou a obrigar o uso de máscaras em ambientes fechados na cidade.

Casos de Covid-19 mais que dobram em uma semana

A evolução dos casos suspeitos, confirmados e dos óbitos causados pela Covid-19 é acompanhada por alunos e professores do Instituto de Ciências Exatas (ICE) e da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), por meio da plataforma virtual JF Salvando Todos. Conforme a análise, o número de casos da doença em Juiz de Fora registrou aumento de 152% entre os dia 29 de maio e 4 de junho (559 casos) em relação ao mesmo período anterior (222 casos). Ainda conforme o estudo, a taxa de transmissão (Rt) da doença na cidade tem estado acima de 1 desde o dia 25 de maio. Isso significa que, em média, cada indivíduo infectado transmite a doença para mais de uma pessoa. Se é maior, cada vez mais indivíduos se infectam e o número de novos casos aumenta. Na última sexta-feira, o índice chegou a 1,69.

Em relação aos óbitos, até esta segunda-feira (6), o boletim epidemiológico não havia confirmado mortes no mês de junho. Em maio, o levantamento apontou quatro falecimentos, média de um óbito por semana. No total, a cidade já registrou 2.261 vidas perdidas desde o início da pandemia.

JF tinha pelo menos 9 pacientes internados nesta segunda

Em 20 de maio, os leitos destinados exclusivamente para pacientes com Covid-19 foram desmobilizados em Juiz de Fora, seguindo determinação do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). À época, foram desmontados os 15 leitos restantes que eram destinados a estes pacientes. Apesar disso, conforme a PJF, os pacientes continuariam isolados e recebendo todos os procedimentos necessários, inclusive aqueles que necessitassem de internação em leitos de cuidados intensivos. De lá pra cá, a Secretaria deixou de divulgar os dados relativos a internações de pacientes com a Covid-19. O último boletim de leitos publicado apontou que, até então, cinco pacientes estavam hospitalizados com a doença.

Nesta segunda, a PJF informou que, por ora, não deve haver nova mobilização de leitos exclusivos para pacientes com a doença, uma vez que o aumento verificado é no número de casos da doença, e não de internações. Apesar disso, embora não tenha sido significativo, o número de hospitalizações aumentou desde a última divulgação do boletim. Nesta segunda, conforme apuração da Tribuna junto a hospitais da cidade, pelo menos nove pacientes estavam internados com Covid-19.

O Hospital Universitário da UFJF tinha um paciente internado no isolamento da unidade. No Hospital Regional João Penido, estavam cinco pacientes com Covid-19. Já na Santa Casa, três pacientes tinham a doença confirmada e estavam hospitalizados, e um era suspeito para a doença. O Hospital Monte Sinai informou que houve aumento de atendimento de porta, com testagem e encaminhamento para casa. O hospital não divulgou número de pacientes internados até a publicação desta reportagem.

FONTE: Tribuna de Minas


Como evitar pagar multas por atraso no condomínio?30, junho 2022

Como evitar pagar multas por atraso no condomínio?

Excesso de barulho, falta de responsabilidade com pets, desrespeito ao uso das vagas de garagem, falta de pagamento da cota condominial, entre […]

Leia mais
É hora de homenagear os profissionais pelo Dia do Porteiro!28, junho 2022

É hora de homenagear os profissionais pelo Dia do Porteiro!

José Geraldo atua há 24 anos em condomínio. para ele, responsabilidade resume o serviço Há 19 anos, a rotina de José Geraldo […]

Leia mais
Confira a 50ª edição da revista O Síndico27, junho 2022

Confira a 50ª edição da revista O Síndico

A revista O Síndico, que circula em maio e junho, acaba de sair e está repleta de assuntos interessantes ao ramo condominial. […]

Leia mais